VACINAÇÃO

Verifique se o lugar para onde o passageiro vai é foco de alguma doença ou se a vacina é recomendada.

Para o controle de doenças numa comunidade e para a própria proteção do viajante é muito importante a imunização que se dá através da vacina. A vacinação adequada depende da área a ser visitada, em função de doenças que possam ocorrer na região.

Recomenda-se que antes de uma viagem seja consultado algum órgão de informação sobre Saúde do Viajante. O órgão central é a Organização Mundial de Saúde. Outro centro de informação atualizada e confiável é o Centro de Controle de Doenças dos EUA.

No Brasil dispomos de alguns centros de informação ao viajante, associados a clínicas de vacinação, como o CIVES da UFRJ, a Clínica de Medicina do Viajante do Instituto de Infectologia Emílio Ribas (0XX11- 30615633 Ramal 287) e o Ambulatório dos Viajantes do Hospital das Clínicas da FMUSP (0XX11 – 3069-6392).

Por ser objeto de controle internacional a Febre Amarela adquire importância especial. Por recomendação da OMS, habitualmente países afetados requerem o Cartão Internacional de Vacinação para os viajantes provenientes de áreas afetadas.

Muitos países exigem vacina contra febre amarela, por exemplo, e o certificado de vacinação deve ser apresentado tão logo se entra no país. A vacina é gratuita.

A vacinação contra a febre amarela é recomendada pelo Ministério da Saúde com no mínimo de 10 (dez) dias de antecedência do dia marcado para a viagem. Para a Vacinação Contra a Febre Amarela, o viajante deve comparecer aos postos munido de Carteira de Identidade (ou Passaporte, em caso de viagem internacional).

Os países abaixo, exigem que os indivíduos provenientes do Brasil tenham o Cartão Internacional de Vacinação contra Febre Amarela atualizado para a entrada em seus territórios, lembrando que a vacina tem validade de 10 anos.

São eles:

  • Bolívia;
  • Colômbia;
  • Paraguai;
  • Equador;
  • Peru;
  • México.

O Brasil, por sua vez, exige o Cartão Internacional de Vacinação dos passageiros provenientes das chamadas “áreas infectadas”, cuja listagem pode ser encontrada nos “sites” já mencionados.

Fonte: www.abav.com.br